Livro revela dados novos sobre a construção da Igreja Matriz de Portimão

NOTÍCIA EM DESTAQUE

Primeira parte de uma entrevista a Nuno Campos Inácio, a propósito do lançamento do seu mais recente livro, “Igreja Matriz de Portimão – 550 Anos de História (1467-2017)”.

Leia aqui a 2ª parte da entrevista

Algarve Marafado (AM) – Como é que surgiu a ideia de escrever este livro?

Nuno Campos Inácio (NCI) – A ideia surgiu a partir de um desafio lançado pelo padre Mário Sousa e vem na sequência da elaboração do meu anterior livro, sobre a história do Condado de Vila Nova de Portimão.

Na altura fui à Igreja a ver se havia documentos desse período que pudesse consultar e, no seguimento da conversa que tive com o padre Mário Sousa, ele sugeriu que fosse escrita uma obra sobre os 550 anos da Igreja Matriz, até porque o documento relativo à comemoração feita em 1467 da Ordem Episcopal para a construção da Igreja fui eu que o localizei quando estava a fazer a pesquisa para esse livro.

Algarve Marafado (AM) – Foi fácil encontrar os dados e documentos que permitissem escrever uma história de 5 séculos e meio?

Nuno Campos Inácio (NCI) – O padre Mário Sousa, desde logo, colocou à minha disposição o arquivo da Igreja, portanto, tive acesso a tudo o que havia de documentação primária – e penso que talvez 90% nunca tivesse sido consultada para efeitos relacionados com a história – o que já foi uma grande ajuda.

A partir daí,  e com a consulta das bibliografias de outras obras já publicadas, fui andando à procura de outros documentos e também pedi a historiadores e investigadores meus amigos que, quando encontrassem alguma coisa que tivesse a ver com Portimão e com a Igreja Matriz, me chamassem a atenção e, de facto, tive outros contributos, do Vasco Reys, do Marco Sousa Santos, que a fazer investigações para outros fins, encontraram documentos que me interessavam.

Entretanto, fui fazendo consultas, pedindo e adquirindo documentos aos vários arquivos e consegui elaborar a obra.

AM – Quanto tempo levaste a fazer o livro?

NCI – À volta de um ano e meio. Concluí a história do Condado há dois anos e pouco depois comecei a fazer este.

AM – O que é que esteve na base da construção da Igreja?

NCI – Tratou-se de uma iniciativa popular. Isso é um dado novo relativamente à história que se conhecia. Normalmente, estava assente que começou a ser construída em 1476 por iniciativa de D. Gonçalo Castelo Branco e isso não corresponde à verdade histórica porque há documentos que falam de uma iniciativa popular, em que se pedia ao Bispo que se construísse a Igreja em 1467, o que foi deferido no mesmo ano.

AM – De onde é que veio o dinheiro que permitiu a sua construção?

NCI – Esse é outro dado que vem confirmar que a sua construção partiu de uma iniciativa popular.

Fui encontrando documentos sobre impostos lançados à população de Portimão para as obras da Igreja, o que significa que não houve a figura do patrono como noutros locais. O dinheiro terá sido arrecado uma parte por dízimos e outra por contribuições da população, por vezes, de forma voluntária e outras sob a obrigação do pagamento de impostos.

AM – A Igreja levou muito tempo a ser construída?

NCI – A Igreja já aparece em funcionamento em documentos de 1480 e já como colegiada, o que significa que não tinha apenas um padre mas um órgão semelhante ao de uma Sé Catedral, composta pelo prior, pelo tesoureiro e por beneficiados. Tinha, logo que entrou em funcionamento, cinco sacerdotes que já estavam no activo em 1480.

Portanto, nesse ano, a Igreja já estava em funcionamento, o que é incompatível com a ideia de que o início da sua construção foi em 1476, e já mais compatível com a de que o arranque deu-se em 1467. O facto da Igreja estar em funcionamento não quer dizer que já estivesse acabada, a construção ia sendo feita por fases, mas estava, pelo menos, em condições de lá ser celebrada missa, mas, mais do que isso, tinha residências dos sacerdotes, que estavam obrigados a viver no seu interior.

(Na 2ª parte da entrevista vamos falar da evolução da Igreja Matriz de Portimão ao longo dos séculos seguintes)

  Leia também:

Os segredos da história da Igreja Matriz de Portimão

Nuno Campos Inácio revela os segredos da Igreja Matriz de Portimão

Casa cheia na apresentação do livro de Manuel da Luz

(Visited 308 times, 1 visits today)
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.