O fogo está de volta à serra de Monchique

pub
pub

17H23: O aproximar das chamas levou a que alguns habitantes do concelho de Portimão que moram em habitações dispersas tivessem de ser, preventivamente, evacuados. Segundo o Correio da Manhã, o mesmo aconteceu aos hóspedes do hotel que abriu recentemente no Autódromo Internacional do Algarve.

(Novas informações sobre o incêndio aqui)

16H51: Mais reforços para combater o incêndio. De acordo com o site da Protecção Civil, são agora 499 os operacionais no terreno. Para além de soldados da paz do Algarve, há também grupos que fazem parte dos Grupos de Reforço para Incêndios Florestais (GRIF’s) do Centro/Sul, Centro/Norte e Évora.

16H05 – Chamas bem perto do Autódromo Internacional do Algarve, que se encontra sob um fumo negro e intenso. Bombeiros e meios aéreos tentam evitar que o fogo atinja esse espaço.

15H35 – Reforço total de meios para tentar conter e dominar o fogo que, impulsionado pelo vento que continua a soprar com alguma intensidade, já lavra também no concelho de Portimão, na zona da Senhora do Verde, que faz fronteira com Monchique.

No terreno há, agora, 408 operacionais, pertencentes não só às corporações algarvias como também de outros pontos do país. Os meios aéreos foram, igualmente, reforçados, havendo, nesta altura, 9 aparelhos a despejarem água sobre as chamas (4 helicópteros e 5 aviões, 3 dos quais pesados).

O posto de comando operacional passou a funcionar no Autódromo Internacional do Algarve, situado no concelho de Portimão.

11h40 – Em declarações à TVI, o comandante Vaz Pinto diz que houve algumas ruínas consumidas pelo fogo, mas que nenhuma casa habitada foi atingida. Adianta, ainda, que foram evacuadas, preventivamente, oito pessoas.

Nesta altura, para além do vento, um dos problemas com que os bombeiros se confrontam é o facto de uma das zonas mais atingidas pelas chamas ser de difícil acesso, com muitos declives, rochas e pedras, em que até as máquinas de rasto – há 13 no terreno – não conseguem entrar para abrir caminhos aos soldados da paz.

10H22 – Já são perto de 4 centenas os operacionais que combatem o fogo que, ao longo da noite, continuou a avançar em várias direcções. Uma delas desenvolveu-se para sul e encontra-se, agora, já, praticamente, na ‘fronteira’ com o concelho de Portimão, a pouca distância de Montes de Cima e Sra. do Verde.

Ao longo da noite, houve evacuação de pessoas para Monchique e, seguramente, que algumas casas dispersas acabaram por ser consumidas pelo fogo, embora não haja, ainda, nesta altura um ponto de situação, a este nível.

Às 10H15 encontravam-se no terreno 396 operacionais, apoiados por 132 viaturas. Com o raiar do dia, foram chamados também os meios aéreos, num total de 8, por esta altura.

Qui, 00H40 – Cada vez parece mais complicada a missão dos bombeiros, que, nas últimas horas, tiveram como uma das principais tarefas impedir as chamas de entrar em Casais. O fogo esteve mesmo às ‘portas’ da vila, mas foi possível evitar o pior.

Devido ao vento, que sopra de forma inconstante, o incêndio desenvolve-se em diversas direcções, havendo também muita preocupação em que chegue a Marmelete.

Em declarações à CM TV, o presidente da Câmara de Monchique, Rui André, disse já terem ardido algumas habitações dispersas e que diversas pessoas, sobretudo idosas, foram evacuadas para o quartel dos Bombeiros de Monchique.

De acordo com o site da Protecção Civil, às 00H40 havia 272 operacionais no terreno, apoiados por 89 viaturas.

23H45 – A noite promete ser longa e de muito trabalho para os bombeiros, uma vez que o incêndio já se estende por vários quilómetros. Para atacar as chamas foram chamados mais reforços, já havendo (pelas 23H45) 214 operacionais e 70 viaturas no terreno.

Esta situação ocorreu no exacto dia em que a Protecção Civil levou a cabo um briefing relativo ao ponto de situação dos incêndios que deflagraram no Sábado, tendo sido divulgado que o da Fóia tinha consumido 381 hectares.

22H30 – As chamas voltaram em força à Serra de Monchique. De acordo com o site da Protecção Civil, deflagrou um fogo esta tarde, pelas 17H08.

Há, nesta altura, a combatê-lo, 197 operacionais, apoiados por 63 viaturas.

Segundo informações que recolhemos, o mais provável é que se trate de um reacendimento do incêndio de Sábado, que há vários dias se encontrava em fase de rescaldo.

As chamas surgiram  numa zona situada próximo da povoação de Casais e o vento relativamente forte que se faz sentir levou a que tenham progredido com rapidez.

(Notícia em actualização)

Leia também: 

Incêndio “muito estranho”

Prisão preventiva para homem apanhado a atear um fogo na Fóia

Subscreva a nossa Newsletter 

(Visited 2.740 times, 1 visits today)
pub
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.