Feira do Livro de Olhão teve mais expositores e iniciativas

pub

Terminou este sábado, dia 21 de julho, a edição da Feira do Livro de Olhão (FLO). Durante 8 dias, o Jardim Patrão Joaquim Lopes acolheu a festa dos livros, que contou este ano com mais expositores, iniciativas dedicadas ao público infantojuvenil e um cartaz cultural paralelo mais forte.

A vice-presidente da autarquia, Gracinda Rendeiro, faz um balanço bastante positivo desta edição: “Olhão está de parabéns porque voltou a celebrar da melhor forma os livros e a cultura. Contámos este ano com mais expositores, mais iniciativas, mais convidados e mais público. O feedback que temos recebido é também bastante animador, o que faz antecipar uma edição de 2019 mais rica e ainda mais dinâmica”.

No que diz respeito a autores, a iniciativa do Município trouxe a Olhão nomes como Miguel Miranda, Luís Ene, Filipa Martins, Paulo M. Morais, Isabel Rio Novo, António Manuel Venda, João Luís Barreto Guimarães, Marco Mackaaij, Catherine Dumas, Manuela Sabino, Paulo Cunha, Ana Cristina Leonardo, António Ladeira, Rita Ferro e Eduardo Jorge Duarte, que participaram em conversas conduzidas por Adriana Nogueira e Sandra Bôto.

O certame contou, igualmente com a rubrica “Conversas ao fim da tarde”, que reuniu autores residentes no concelho, como Goreti Costa, Maria do Pilar Santos, Mário Moreno, Paulo Moreira, Zélia Ortiz, Carla Vicente, Gustavo Marcos, Lígia Boldori, Margarida Caria, Paula Sousa, Carlos da Encarnação, Conceição Pires, Deodato Pires, Gisélia Sinfrónio, Graça Dimas, Andreia Fidalgo, Idalécio Soares e Sandra Romba.

No que diz respeito à programação cultural paralela, a noite de abertura levou ao recinto do certame o ator Virgílio Castelo, que protagonizou o monólogo “O último dia de um condenado”, baseado no livro homónimo de Victor Hugo, publicado em 1829, escrito como um protesto à sentença de morte. O espetáculo surgiu inserido nas comemorações dos 10 anos da Biblioteca Municipal José Mariano Gago.

O dia 16 foi marcado por Jorge Serafim. O stand-up comedian, contador de estórias e narrador protagonizou dois momentos dirigidos a públicos diferentes: “Contos para crianças” e “Contos ao serão”.

Outro nome de destaque a passar pelo palco da Feira do Livro de Olhão foi Carlos Alberto Moniz, com “Cantar poetas”, um espetáculo único de guitarra e voz, onde o cantautor interpretou canções para poemas de Amílcar Cabral, Antero de Quental, José Afonso, José Carlos Ary dos Santos, Manuel Alegre e Natália Correia, entre outros.

A FLO encerrou com Sérgio Gonçalves e a banda Amantes d’Fado, que apresentaram ao público “Cantar Amália”.

Três das oito noites do certame, o ator Alexandre Lopes abriu o “À noite, na FLO”, com o espetáculo “Serenata em passeio”, de drama, canto e dança.

Mas também de artes plásticas se fez a Feira do Livro de Olhão, que contou com duas mostras permanentes: de pintura, pelo centro de Arte de Pintores Olhanense, e de fotografia, pelo Clube de Fotografia de Olhão.

 

 

Leia também:

GNR detém mulher e apreende mais de 800 doses de heroína e cocaína

PSP de radar em punho (julho)

Ofertas de emprego para o Algarve (20 de julho)

(Visited 122 times, 1 visits today)
pub

pub

pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub

pub

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.