Exposição dedicada a Sophia de Mello Breyner Andresen inaugurada em Lagos

pub

Foi inaugurada no Centro Cultural de Lagos, no sábado, a exposição de fotografia “Lugares de Sophia”, da autoria de António Jorge Silva, Duarte Belo e Pedro Tropa.

Os trabalhos que constituem a mostra resultam do convite e desafio lançado a estes fotógrafos de revisitarem os lugares de Sophia de Mello Breyner Andresen, acrescentando-lhes, com o seu olhar próprio e poéticas diferentes, outras vertentes e verdades, e dando corpo a uma inédita leitura da poetisa.

Com curadoria a cargo de Federico Bertolazzi e de José Manuel dos Santos, esta exposição é a primeira atividade do programa comemorativo oficial a acontecer em Lagos.

Na sua intervenção, o presidente do Grande Conselho do Centro Nacional de Cultura, Guilherme de Oliveira Martins, considerou Sophia uma referência absolutamente fundamental não só na cultura portuguesa, como em termos de cidadania.

Recordou que foi a deputada da Assembleia Constituinte responsável pelo texto mais importante até hoje produzido sobre o direito à cultura, tendo dedicado uma segunda intervenção à educação inclusiva, textos que – na expressão usada por Oliveira Martins – “não têm uma ruga”, uma vez que ainda hoje, mais de 40 anos passados, continuam a poder ser lidos, mantendo toda a sua atualidade, o que revela a excecionalidade de quem os produziu.

Federico Bertolazzi, membro da comissão organizadora do programa comemorativo do 100.º aniversário do nascimento de Sophia de Mello Breyner Andresen, referiu-se a Lagos como a cidade onde Sophia viveu uma espécie de epifania, não só ao nível da poesia, mas na sua relação com o espaço e com as coisas, recordando que foi com Teixeira de Pascoaes que Sophia aprendeu a fazer da paisagem uma linguagem.

O presidente interino da Câmara de Lagos, Hugo Pereira e a  vereadora da Cultura, Sara Coelho, agradeceram e congratularam-se com a oportunidade de colocar Lagos nos Lugares de Sophia, ou seja, nas comemorações oficiais do centenário, a par com Lisboa e Porto.

A exposição, que reúne cerca de 65 fotografias, representando os ambientes mais familiares a Sophia, estará patente para ser visitada e apreciada no Centro Cultural de Lagos até ao próximo dia 26 de outubro.

A 3 de outubro o Centro Cultural de Lagos irá receber o Colóquio Internacional “Lagos onde reinventei o mundo” dedicado a Sophia de Mello Breyner Andresen e que integra a programação oficial do centenário.

 

LEIA TAMBÉM:

Câmara de Lagos vai dar apoio financeiro para pagamento de rendas

Quatro ofertas de emprego para câmara algarvia

Veja onde vai estar a PSP com o radar


OS NOSSOS VÍDEOS

(Visited 106 times, 1 visits today)
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub
pub