Autárquicas: PS já escolheu o seu candidato em Lagoa

O Partido Socialista (PS) já decidiu que o seu candidato às próximas eleições autárquicas será o atual presidente da Câmara, Luís Encarnação.

A decisão foi conhecida após o autarca e o seu antecessor, Francisco Martins, terem sido chamados a reuniões – separadas – na sede nacional do partido, no Largo do Rato, em Lisboa.

Luís Encarnação foi o primeiro a encontrar-se, na segunda-feira passada, com a coordenadora autárquica, Maria da Luz Rosinha, e o líder distrital do PS, Luís Graça. Na quinta-feira foi a vez de Francisco Martins se reunir com os mesmos interlocutores e, ao que apurámos, também com o secretário-geral adjunto, José Luís Carneiro.

No essencial, o que saiu dessas reuniões foi que a direção nacional do partido tem como regra apoiar os presidentes em funções, desde que os mesmos possam e queiram ser candidatos e que não haja nenhumas razões fortes, judiciais ou outras, que justifiquem uma tomada de posição diferente. Em face disso, foi assumido que, em Lagoa, desde que decida avançar, Luís Encarnação será o candidato do PS.

A iniciativa de chamar os dois políticos a Lisboa surgiu na sequência de Francisco Martins ter anunciado, em reunião da comissão política do PS/Lagoa realizada em 14 de outubro, que estava disponível para ser o candidato do PS. Essa declaração provocou, de imediato, uma divisão entre militantes, tendo alguns ficado do seu lado e outros defendido que o candidato devia ser Luís Encarnação. A maioria ficou perplexa com a situação e sem saber bem que posição tomar.

Para tentar evitar o agravamento da situação, os dirigentes regionais e nacionais resolveram, agora, e ainda a quase um ano das eleições, deixar bem claro quem vai ter o apoio do partido.

Entretanto, há poucas horas, Francisco Martins publicou, na sua página de Facebook, um post através do qual anuncia a sua saída do PS “mas não da vida política do meu concelho”. E deixa a certeza de que “brevemente nos voltaremos a cruzar, não para partilhar o mesmo caminho mas, simplesmente, nos cruzarmos”, o que indicia estar a pensar candidatar-se como independente ou por outro partido.

Encontros e desencontros

Francisco Martins foi presidente da Câmara de Lagoa ao longo de cerca de mandato e meio, tendo renunciado ao cargo no final de julho do ano passado, alegando razões de saúde, tendo o seu lugar sido ocupado pelo até aí vice-presidente, Luís Encarnação.

Contudo, no início de dezembro, aceitou o convite para ser adjunto da então secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Jamila Madeira. Em agosto último deixou aquelas funções para assumir as de vogal do conselho diretivo da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, que atualmente desempenha.

A sua ligação a Lagoa manteve-se e o facto de, em janeiro, se ter recandidatado à liderança da concelhia local do PS tornava claro que não queria deixar de ser um ator político no concelho.

O relacionamento com Luís Encarnação e a até aí sua equipa pareceu ter ficado muito afetado, tendo em conta uma entrevista muito crítica que, logo em setembro de 2019, deu ao jornal Lagoa Informa. Na ocasião também já deixava o aviso de que “não estou morto para a política e vou andar por aqui”. Para além disso, em jeito de aviso ao PS, dizia que “não estou refém de nenhum partido”.

LEIA TAMBÉM:

Ponto de situação em Portimão (22 de novembro)

Os concelhos algarvios que saem e o que entra na ‘lista negra’ da Covid-19

Roteiro dos Poços em Lagoa e Carvoeiro

(Visited 942 times, 1 visits today)
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev