Polícia Marítima apreende artes de pesca ilegais

O Comando-local da Polícia Marítima de Olhão efetuou, no domingo e segunda-feira (16 e 17 de dezembro) diversas ações de fiscalização com o objetivo de reprimir atividades ilegais no interior da Ria Formosa.

​Nestas ações foram detetadas e apreendidas duas teias, constituídas por 45 e 31 covos, não sinalizadas e fundeadas dentro do canal de navegação. Estes covos continham cerca de 25 kg de polvo no seu interior que, por se encontrarem vivos, foram devolvidos ao seu habitat natural.

Em comunicado, a Autoridade Marítima lembra que “a Ria Formosa é uma zona de reprodução e maternidade de várias espécies marinhas, entre elas o polvo, sendo que a utilização deste tipo de arte de pesca conduz a uma crescente captura de exemplares subdimensionados.”

Os covos são uma arte de pesca fixa, do tipo armadilha, cuja utilização no interior da Ria Formosa apenas está autorizada para a captura de enguia.

Das infrações detetadas foram instaurados os respetivos processos de contraordenação puníveis com coimas a graduar de 598,56€ a 37.409,84€.

 

Leia também:

Isilda Gomes confirma proposta para acolher final do Festival da Canção

12 ofertas de emprego para a Câmara de Portimão

Primeira exploração de goiabas do Algarve nasce em Lagos

(Visited 126 times, 1 visits today)
pub
pub

pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub