Este empresário quer faturar 100 milhões de euros por ano

pub

Dentro de dois ou três anos, a Congelagos deverá estar a faturar cerca de “100 milhões de euros.” Esse é o objetivo assumido por Nuno Battaglia, o principal investidor desta empresa instalada no concelho de Lagos.

Inaugurada em março passado, no decorrer de uma cerimónia que contou com a presença da ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, a fábrica de congelação de peixe exigiu um “investimento de 16 milhões de euros”. Com uma capacidade de “300 toneladas por dia de processamento e 5.400 toneladas de conservação, está, nesta altura, a cerca de 50% da capacidade de laboração”, mas, diz o empresário, “esperamos atingir a capacidade máxima de pico ainda este ano.”

Nuno Battaglia resolveu avançar com este empreendimento para valorizar “uma grande quantidade de peixe que é subaproveitado ou nem sequer capturado” porque rende muito pouco aos pescadores. Casos da cavala e do carapau, que existem em abundância na nossa costa.

A Congelagos garante aos profissionais do setor, através de contratos com as respetivas associações devidamente supervisionados pela Docapesca, a compra desse peixe a um preço que justifica a sua captura. Depois, é tratado, congelado e comercializado.

Mas a Congelagos não vai ficar apenas limitada ao carapau e cavala. Aliás, refere Nuno Battaglia, nesta primeira fase até já adquiriu uma razoável quantidade de sardinhas que foram pescadas em abundância e cujo preço “desceu abaixo daquilo que os pescadores esperavam.” No futuro, outras variedades de peixe, das quais destaca o polvo, serão processadas.

Nuno Battaglia explica que pretende ir desenvolvendo o seu projeto em várias fases. Isso passará, futuramente, até pela criação de uma marca própria e pela venda do peixe não só em grandes quantidades como também em doses pequenas para chegar ao grande público.

Uma das possibilidades que estão a ser ponderadas por si e pelos seus sócios é a criação de uma fábrica de conserva. Aliás, nesta altura, a fábrica já fornece algumas conserveiras, adianta.

Renovação da frota é essencial

Para financiar esse e outros projetos, pretende “abrir o investimento a terceiros para, dessa forma, alavancarmos o que já fizemos e conseguirmos ir mais longe.”

Se tudo correr como previsto, “a maior parte do nosso produto será para exportação”, nomeadamente, Espanha, Itália, França e Estados Unidos.

A grande quantidade de matéria prima que precisa para colocar a fábrica a produzir à sua capacidade máxima faz com que “já neste momento estejamos a comprar peixe não só no Algarve, mas também fora da região, em Sines, Sesimbra, Peniche, Matosinhos.”

Mas nos planos dos responsáveis pela empresa também está a possibilidade de obterem a aquisição das necessárias licenças que lhe permitam a compra de barcos, que tencionam apetrechar com tecnologia moderna.

Para além de ser uma forma de não ficar totalmente dependente de terceiros, por esta via, o empresário quer alertar os armadores para a necessidade de investirem na renovação da frota. “Através do exemplo é mais fácil sensibilizá-los para isso” e mostrar que com a modernização dos seus barcos “se tornam bem mais eficientes e rentáveis sem pôr em causa a sustentabilidade ambiental.”

Atualmente responsável por “75 postos de trabalho diretos e  entre 300 a 500 indiretos”, o grande objetivo de Nuno Battaglia é transformar a Congelagos “numa empresa de referência no setor das pescas, a nível nacional”.

A seguir: Os outros projetos de investimento de Nuno Battaglia

 

LEIA TAMBÉM:

Mais uma morte na EN 125

19 ofertas de emprego para Câmara algarvia

Veja onde vai estar a PSP com o radar

(Visited 1.181 times, 1 visits today)
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev