Deputados do CDS querem esclarecimentos do Governo sobre intervenção na Ponta da Piedade

pub
pub
pub

A deputada do CDS-PP eleita pelo Algarve, Teresa Caeiro, juntamente com outros eleitos do seu partido, inquiriu, nos últimos dias, o Governo sobre duas questões relacionadas com o concelho de Lagos.

Uma das situações que motivou a exposição a um membro do Governo é a intervenção que está a ser feita na zona da Ponta da Piedade, no concelho de Lagos.

Teresa Caeiro, Patrícia Fonseca e Álvaro Castelo Branco lembram que esta zona é um ex-líbris do concelho e da região e “um dos cenários naturais mais bonitos do litoral algarvio, com as suas falésias esculpidas em pilares rochosos, túneis naturais e grutas ocultas”. Em documento enviado ao Ministro do Ambiente, revelam ter tido conhecimento de uma petição que apela à “suspensão imediata” das obras que aí estão a decorrer, bem como de “diversas manifestações de desagrado por parte da população local e de um conjunto de conceituados investigadores da comunidade científica portuguesa”.

Em causa, referem, estão trabalhos que prevêem “a criação de uma rede de caminhos em betão poroso sob uma camada de gravilha”. Trata-se de uma metodologia considerada “completamente errada para o local”, pois a solução deveria passar pela instalação de “passadiços sobre-elevados e em materiais não abrasivos ao ambiente, atendendo à sensibilidade da zona a intervir”.

Em face disso, estes deputados perguntam ao ministro se tem conhecimento do que ali se passa e se vai tomar algumas medidas para corrigir o projecto.

Através de uma outra exposição, Teresa Caeiro, Telmo Correia, Vânia Dias da Silva e Nuno Magalhães mostram-se apreensivos com a “degradação do Posto Territorial da GNR de Lagos”, lembrando que a Câmara de Lagos já disponibilizou outras instalações, na zona do Chinicato, estando a passagem dos militares para o imóvel dependentes da conclusão de obras de adaptação. Em face disso, pretendem saber quando é que a intervenção estará concluída, de forma a que a GNR local possa fazer a mudança e ficar com melhores condições de trabalho.

Outro dos temas também levantados, nos últimos dias, por eleitos do CDS, neste caso, por Teresa Caeiro, Helder Amaral e Pedro Mota Soares, tem a ver com a falência da companhia aérea Monarch. Estes deputados ostram-se preocupados com os impactos que isso pode ter nas finanças das empresas hoteleiras da região e inquirem o ministro da Economia sobre se está a ser disponibilizado algum tipo de apoio às que foram prejudicadas por esta falência.

Leia também:

Ofertas de emprego para o Algarve (3 de Novembro)

Oito ofertas de emprego para Câmara algarvia

Ofertas de emprego para o Algarve (2 de Novembro)

(Visited 349 times, 1 visits today)
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub
pub
pub
pub

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.