Futuro da Ponta da Piedade esteve em debate

O futuro da zona da Ponta da Piedade esteve em debate, no passado dia 28 de Abril, numa iniciativa promovida pela Assembleia Municipal e pela Câmara de Lagos. Especialmente debatida foi a polémica intervenção que tem vindo a ser desenvolvida.

A Presidente da Câmara Municipal, Joaquina Matos, fez um historial do processo, lembrando que o estudo prévio que daria origem ao projecto foi desenvolvido em 2009/10 pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), em parceria com o Município e com a entidade proprietária dos terrenos onde viria a ser edificado o Cascade Resort. Na altura, o processo ficou suspenso, “fruto de dificuldades e vicissitudes diversas por parte das entidades públicas e privadas”.

Em 2016, a  perspectiva de possível obtenção de financiamento no âmbito do CRESC Algarve 2020, “despoletou novos contactos com as entidades competentes que permitiram a celebração de um protocolo para viabilizar a concretização do referido projecto de valorização da Ponta da Piedade”.

Joaquina Matos referiu ainda ter havido necessidade de proceder a um faseamento da intervenção, correspondendo a primeira fase ao troço entre o Canavial e a Ponta da Piedade (a qual foi subdividida em 2 empreitadas: uma, já concluída, no valor de 170.500,00€ e a segunda, em curso, no montante de 149.900,00€ referente a correcções de traçado e de perfil, nomeadamente a substituição de troços de caminho ao nível do solo por soluções sobrelevadas em relação ao terreno natural, em passadiço de deck) e a segunda fase ao troço Ponta da Piedade/Praia do Pinhão com elaboração de projecto já adjudicada.

A autarca concluiu a sua intervenção referindo o grande desafio que constitui a preservação daquele território e afirmando que tudo aquilo que foi feito até ao momento cumpre esse desafio de preservação.

A bióloga Dina Salvador defendeu que se deve classificar a zona como de interesse público; definir a capacidade de carga do território; criar uma instituição que se ocupe da gestão do mesmo, não descartando a possibilidade de se equacionar a cobrança do acesso à Ponta da Piedade e envolver num diálogo e debate aberto todos os agentes com interesses naquele território, designadamente os proprietários.

Representando a equipa projectista da intervenção de valorização da Ponta da Piedade, o Arq.º Hipólito Bettencourt explicou os cuidados tidos na elaboração do projecto, decorrentes das características e sensibilidade do próprio território e do facto do mesmo ser um espaço com vocação para fruição pública que se deve sobrepor aos interesses privados.

Referiu que, ao longo dos anos, surgiu um excesso de percursos que foi necessário estudar para se perceber quais os mais utilizados e que faria sentido manter ou não, considerando também as condicionantes de intervenção decorrentes da própria geomorfologia do terreno e dos fenómenos naturais.

O arquitecto adiantou ainda que, no âmbito da elaboração do projecto da 2.ª fase, serão analisadas e repensadas todas as questões inerentes aos eixos de circulação viária de ligação à cidade, criando percursos mais seguros para os peões, à acessibilidade, circulação e estacionamento na zona, aos equipamentos de apoio e às condições de visitação.

Outro dos intervenientes foi Nuno Marques, actual vice-Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve, que deu exemplos de outros locais onde se adoptou igual tipo de solução (betão poroso) à aplicada nos percursos da Ponta da Piedade (a Ecovia do Litoral Norte; o Caminho dos Três Pauzinhos na Mata Nacional de Monte Gordo em Vila Real de Santo António) para demonstrar que, na sua opinião, a mesma não é assim tão invulgar nem desadequada como se falou em praça pública.

Em face disso, entende que “não se deve fazer marcha atrás no trabalho já realizado”, até porque “nada do que ali foi feito é irreversível”.

Leia também:

Mais uma grande superfície para o Algarve

Câmara de Portimão quer vender terreno do ‘Complexo Desportivo’

(Visited 234 times, 1 visits today)
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub
pub

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.