‘Manifestação’ em Ferragudo contra obras de dragagem no rio Arade

pub

Vai decorrer esta tarde, a partir das 18 horas, em Ferragudo, uma ‘marcha silenciosa’ de protesto contra o projeto de dragagens no rio Arade.

Este projeto, que esteve em fase de consulta pública até ao passado dia 11, tem como objetivo o alargamento do canal de navegação, de forma a permitir a entrada no Porto de Portimão de navios de cruzeiro com comprimento até 334 metros.

O presidente da Junta de Freguesia de Ferragudo, Luís Veríssimo, considera que, a concretizar-se, a intervenção vai provocar efeitos negativos na vila, em especial, na zona da Praia da Angrinha.

Para além disso, receia que o alargamento do canal faça aumentar a probabilidade de inundações na zona baixa de Ferragudo. O autarca também se mostra contra a perspetiva de uma parte dos dragados vir a ser colocada em praias da freguesia.

Luís Veríssimo considera, ainda, que ao longo deste processo houve “uma enorme falta de respeito para com os autarcas de Ferragudo e Lagoa”.

A sua mira é sobretudo apontada aos responsáveis da Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e da Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS) que “mandam nisto tudo, apesar de não terem sido eleitos por ninguém”.

Para além desta ‘marcha silenciosa’, que é feita no dia em que Ferragudo celebra 500 anos da sua fundação, também foi lançada uma petição que, pelas contas do autarca, “já foi assinada por cerca de 3 mil pessoas”.

E, se a Declaração de Impacto Ambiental tiver parecer positivo por parte da APA, garante que “vamos colocar uma providência cautelar” com o objetivo de impedir a concretização da obra.

LEIA TAMBÉM:

Ofertas de emprego para escolas

Covid-19: Algarve ultrapassa fasquia de mil casos

Covid-19: Ponto de situação em Portimão (21 de agosto)

(Visited 100 times, 1 visits today)
pub
pub
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev