Deputado algarvio quer que o Governo avance com medidas de proteção das Alagoas Brancas

O deputado do Bloco de Esquerda eleito pelo Algarve, João Vasconcelos, quer saber que medidas pretende o Governo tomar para salvaguardar a zona húmida das Alagoas Brancas (zona situada no concelho de Lagoa) e impedir o que considera ser a “sua destruição iminente”.

Esta é uma das perguntas que aquele eleito dirigiu, por escrito, ao Ministério do Ambiente e Ação Climática.

No documento, João Vasconcelos refere que aquele espaço se encontra “em risco de ser destruída pela construção de mais um 
hipermercado a somar a outros cinco existentes dentro e nas imediações da cidade”. Usto porque, adianta, recentemente, a Câmara de Lagoa concedeu à entidade promotora Edifícios Atlântico SA um alvará de loteamento industrial para aquela zona.

O deputado lembra que as Alagoas Brancas são inundadas, no inverno, “transformando-se numa importante zona de alimento, repouso e criação para um conjunto de espécies de aves, algumas das quais ameaçadas de extinção”.

É, também, local de estudo de ornitólogos, que aí terão identificado “mais de 70 espécies de aves”, destacando-se as seguintes: íbis-preto, águia-sapeira, falcão-peregrino, cegonha-branca, cegonha-negra, colhereiro, garça-branca-pequena, garça-branca-grande, garça-vermelha, guarda-rios, caimão, pernilongo, maçarico-bastardo, tartaranhão-ruivo-dos-pauis e peneireiro-cinzento.

Além da avifauna, acrescenta o deputado no documento, “habitam nas Alagoas Brancas importantes populações de cágado-mediterrânico e de rela-meridional, espécies incluídas no Anexo B-II da Diretiva Aves e Habitats, bem como uma planta pouco comum em Portugal – a Crypsis aculeata – e várias espécies de crustáceos, borboletas diurnas, libélulas e libelinhas com valor de conservação”.

A singularidade e importância ecológica das Alagoas Brancas “levou o Bloco de Esquerda a desenvolver uma iniciativa aprovada pelo Parlamento (Projeto de Resolução 1213/XIII/3), que deu origem à Resolução da Assembleia da República n.º 106/2018, de 12 de abril, na qual as deputadas e deputados recomendam ao Governo que tome as medidas necessárias para salvaguardar a zona húmida sazonal de água doce das Alagoas Brancas, em Lagoa, impedindo a sua destruição iminente e que proceda a um estudo pormenorizado sobre as Alagoas Brancas com vista à sua classificação ambiental”.

LEIA TAMBÉM:

Covid-19: Mais 188 casos e uma morte no Algarve

13 ofertas de emprego

Homem detido por violência doméstica

(Visited 272 times, 1 visits today)
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub
pub
pub