Mais de uma centena manifestaram-se contra a degradação dos cuidados de Saúde

pub
pub
pub
pub

Mais de uma centena de pessoas responderam à chamada da Comissão de Utentes e esta tarde (14 de Janeiro) marcaram presença à entrada do Hospital de Portimão, numa manifestação contra o que dizem ser “a degradação dos serviços” daquela unidade de Saúde.

As maiores queixas foram para a escassez de médicos e enfermeiros e para os elevados tempos de espera que, em determinadas alturas, se verificam nas urgências.

Mas alguns dos presentes aproveitaram para criticar também a falta de capacidade de resposta de centros e extensões de Saúde, o que tem como consequência a sobrecarga do afluxo de utentes ao hospital.

Esta é a segunda manifestação do género promovida no espaço de pouco mais de um mês, seguindo-se a uma outra realizada a 10 de Dezembro.

Trata-se de mais um sinal de que a actuação do Ministério da Saúde está longe de reunir apoio na região, sucedendo-se os casos que indiciam não haver mudanças positivas na prestação de cuidados de Saúde à população local.

As críticas têm surgido de vários quadrantes, inclusivamente da parte de autarcas do Partido Socialista, que se mostram desalentados com a evolução registada nos últimos tempos, depois de muito terem criticado o anterior Governo e o administrador Pedro Nunes.

Uma das reivindicações mais ouvidas é que se acabe com o Centro Hospital do Algarve e se volte ao sistema anterior, dando autonomia dos hospitais do Barlavento.

As queixas algarvias têm chegado a Lisboa e aos principais líderes partidários. A coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, já visitou o hospital e o mesmo vai fazer, esta Segunda-feira, pelas 15 horas, a presidente do CDS, Assunção Cristas.

Da parte do Ministério da Saúde, um dos problemas principais com que parece debater-se é a incapacidade para atrair médicos especialistas à região. Foram vários os concursos lançados para suprir as muitas lacunas existentes que acabaram desertos, por falta de concorrentes.

Recentemente foi lançado mais um mega-concurso a nível nacional, através do qual o Governo tenta, no que ao Algarve diz respeito, contratar mais 49 clínicos.

Leia também: 

Governo tenta contratar 49 médicos para o Algarve

Já há substituto para a médica que saiu do Parchal

Prestação dos cuidados de saúde no concelho de Lagoa em níveis “inadmissíveis”

Subscreva a nossa Newsletter 

(Visited 350 times, 1 visits today)
pub
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.