Câmara de Lagoa começou a distribuir máscaras pelos cidadãos do concelho

Alguns serviços da Câmara de Lagoa voltaram, esta segunda-feira, a abrir ao público. No entanto, o seu presidente, Luís Encarnação, diz que a autarquia continua a privilegiar os contactos por telefone ou via online.

O autarca adianta que começaram hoje a ser distribuídas pelos cidadãos do concelho máscaras comunitárias. No total, vão ser entregues 50 mil.

A Câmara de Lagoa reabriu ao público, na segunda-feira, alguns dos serviços. Quais foram e de que forma funciona agora o atendimento?

Abrimos o Balcão Único, a Biblioteca e o Arquivo Municipal (embora, neste caso, funcione com marcação prévia) com as medidas de restrição e higienização que se impõem neste momento.

Continuamos a privilegiar o teletrabalho, mas já temos muitos mais trabalhadores a fazer serviço presencial, por turnos: das 8h30 às 13 horas e das 14 às 18h30. Na hora que divide esses turnos, todos os serviços são higienizados.

De qualquer forma, continuamos a pedir aos cidadãos que, preferencialmente, nos contactem telefonicamente ou via online, apenas se deslocando à Câmara para tratar de assuntos que só presencialmente possam ser tratados.

No início da passada semana passou a ser permitido o regresso à atividade do pequeno comércio. No concelho de Lagoa já há muitas lojas abertas?

Sim, já temos muitos estabelecimentos abertos, sobretudo pequenas lojas de bairro, bem como esteticistas, cabeleireiros e oculistas.

Esplanadas alargadas

Na próxima semana vão abrir os cafés, pastelarias, restaurantes e também as creches, o que vai fazer com que haja mais contactos entre as pessoas. Receia que, por esse motivo, voltem a disparar os casos de Covid-19?

Temos essa preocupação e a nossa mensagem é muito clara: maior liberdade implica maior responsabilidade. Esperamos que os lagoenses continuem a comportar-se, como até aqui, de forma exemplar, e que cumpram as medidas definidas para este período.

Na sexta-feira vamos distribuir mais de 14 mil equipamentos de proteção individual pelas creches, para dar uma ajuda, no sentido de que abram com boas condições de proteção.

Quanto aos cafés, pastelarias e restaurante, percebemos que as condições em que vão abrir são restritivas e limitadoras e, por isso, estamos a trabalhar, desde a semana passada, numa solução que permita a que aqueles que tenham possibilidade de usar ou alargar esplanadas o possam fazer, desde que não afetem a circulação pedonal ou viária.

Para além disso, como medida de apoio às empresas, já tínhamos decidido não lhes cobrar as taxas de ocupação do espaço público.

Tal como outras autarquias, a Câmara de Lagoa vai distribuir máscaras pela população. Quantas são e quando é que começam a ser distribuídas?

Hoje foram distribuídas as primeiras 3 mil, nas freguesias de Porches e Ferragudo.

O processo vai ser gradual e, no total, vão ser entregues 50 mil máscaras comunitárias, reutilizáveis, uma parte das quais estão a ser produzidas por cerca de meia centena de voluntários de 15 instituições que estão a colaborar com a autarquia. Para além disso fizemos um procedimento de aquisição de até 35 mil máscaras.

O nosso compromisso é até ao final do mês de maio distribuir todas essas máscaras pela população, de forma a que não haja um único lagoense que não use máscara por não saber onde pode adquiri-la ou por não ter meios para isso.

Como é que são distribuídas?

As máscaras são distribuídas pelos nossos leitores/cobradores do serviço das águas. São quatro por cada titular de contrato de fornecimento de água de serviço doméstico. Também vamos entregar algumas às juntas de freguesia para colmatar eventuais falhas que, no final, se verifique terem existido.

Fatacil deste ano cancelada

Quanto à época balnear, como é que acha que vai decorrer? Já receberam as regras que o Governo ficou de definir?

O manual de boas práticas deve ser conhecido amanhã. O que esperamos é que seja composto por regras orientadoras de sentido lato que permitam a que cada autarquia, em articulação com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), a Autoridade Marítima, a autoridade de Saúde e os concessionários das praias, possa encontrar soluções adequadas a cada realidade.

O Governo também abriu a possibilidade de serem realizados eventos e espetáculos, desde que cumpram um determinado conjunto de regras. Vão decorrer alguns no concelho de Lagoa nos próximos tempos?

Realizaremos, eventualmente, alguns de pequena dimensão, que consigam cumprir as regras definidas.

No entanto, os nossos eventos âncora não vão ter lugar. Já tínhamos anunciado o cancelamento do Mercado da Cultura à Luz das Velas, do Lagoa Wine Show e de todos os outros, com exceção da Fatacil, que ainda tínhamos uma pequena esperança de poder ser realizada.

No entanto, após o Governo ter anunciado as regras que impõe para esse tipo de eventos, verificamos que não é possível realizar a feira, nos moldes e as características específicas que tem, pelo que este ano não haverá Fatacil, regressando apenas em 2021.

LEIA TAMBÉM:

Covid-19: Mais dois casos no Algarve

Covid-19: Ponto de situação em Portimão

Covid-19: Portimão retira fitas de interdição ao acesso a jardins e praias

(Visited 1.443 times, 3 visits today)
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev