Lagoa assinala o direito à cidade

O colóquio “O Direito à Cidade – na agenda há 50 anos” que decorreu no dia 2 de novembro, na Biblioteca Municipal de Lagoa, abriu à comunidade local e regional o tema do 8º Congresso Nacional de Cidades Educadoras, agendado para maio de 2019.

Ana Martins, vereadora do Município de Lagoa, responsável pelos pelouros da Educação e Cultura, iniciou os trabalhos afirmando que “Criar (na) Cidade”, apela a uma relação mais aprofundada entre as Artes e a Educação para encontrar caminhos e respostas adequadas à construção de Cidade Educadora.

Carlos Fortuna, orador presente no certame e autor do texto de abertura da edição portuguesa da obra “Direito à Cidade”; Marta Galvão Lucas, artista e coeditora do livro; e Susana Mourão, técnica de reabilitação urbana, apresentaram as suas leituras atualizadas da proposta do sociólogo e filósofo francês, Henry Lefebvre, autor desta obra.

De entre os participantes incluíram-se responsáveis políticos, técnicos e académicos de áreas como as do planeamento, urbanismo, arquitetura, história e património, intervenção social e psicossocial, entre outras. A grande maioria dos comentários, perguntas e reflexões apontaram para a participação pública e para as formas de a promover nos territórios locais, como estrutura da condição urbana desejada.

O debate sobre a construção de cidades cada vez mais educadoras prossegue com a participação do Município, quer no XV Congresso Internacional de Cidades Educadoras, a realizar entre 13 e 16 de novembro, em Cascais, quer no IV Fórum Regional das Redes Autárquicas Participativas, que terá lugar em Lagoa a 20 de novembro próximo.

Leia também:

15 ofertas de emprego para a Câmara de Albufeira

Mais portugueses nos hotéis algarvios

Adega «Única» ganha nova vida

(Visited 101 times, 1 visits today)
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev