Gabinete de apoio à vitima apresentado em Lagos

pub
pub
pub
pub

A iniciativa marcou o arranque oficial do funcionamento desta nova resposta social de apoio às vítimas de violência contra as mulheres e violência doméstica, até agora inexistente no concelho.

A implementação resulta do Protocolo para a Territorialização da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica que foi assinado no passado mês de abril, em Faro, com a presença da Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva.

A sessão foi dinamizada pela TAIPA – Organização Cooperativa para o Desenvolvimento Integrado, entidade sediada em Odemira que criou primeiramente esta resposta naquele concelho, alargou a experiência em 2016 ao concelho de Aljezur e, agora, por via deste Protocolo, estende a sua área de influência aos territórios dos municípios de Lagos, Vila do Bispo e Monchique.

Os indicadores estatísticos apresentados na sessão evidenciam a necessidade desta resposta, uma vez que de 2017 para 2018 o número de atendimentos feitos pela TAIPA cresceu 54% e o número de vítimas aumentou 42%.

Segundo a mesma fonte, o perfil das vítimas de violência doméstica é maioritariamente feminino (92%), com idade compreendida entre os 35 e os 54 anos (45%), em situação de casamento ou união de facto (51%) e sinalizada pela GNR (38%).

De acordo com os dados do destacamento territorial de Portimão da GNR, igualmente apresentados nesta sessão, em 2018 Lagos registou 41 ocorrências de crimes de violência doméstica.

Leia também:

Despiste provoca ferido grave

Homem morre atropelado por comboio

Câmara algarvia lança concurso para contratação de 70 pessoas

(Visited 132 times, 1 visits today)
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub
pub
pub
pub