“Não vamos deixar cair em saco roto as preocupações aqui expressas”

O PSD de Portimão promoveu, esta terça-feira, uma Audição Pública sobre o estado da Saúde em Portimão e no Algarve, que contou com a participação do deputado Cristóvão Norte.

Ao longo de várias horas foram ouvidas histórias e experiências de pessoas que tiveram de recorrer ao Serviço Nacional de Saúde. No final, o presidente da concelhia local dos social-democratas, Carlos Gouveia Martins, disse ao «Algarve Marafado» que as preocupações e problemas detetados vão ser levados às entidades responsáveis pelo setor.

Artigo relacionado: “Qualquer dia reduzem o Hospital do Barlavento a um Centro de Saúde”

Qual foi o objetivo da realização desta sessão?

Acima de tudo foi encontrarmos um palco de debate das questões da saúde, para o qual convidámos todos os partidos e autarcas para tentar unir as forças políticas e a sociedade civil em torno de uma causa.

Registámos todas as histórias e experiências contadas pelas pessoas que compareceram e vamos fazê-las chegar às entidades responsáveis, via Assembleia Municipal de Portimão, Comunidade Intermunicipal do Algarve e deputados, em especial, de Cristóvão Norte, que também aqui esteve presente.

Não vamos deixar cair em saco roto as preocupações aqui expressas. Os problemas da saúde são culpa de diversas forças partidárias, ao longo de vários anos, mas agora também existem e não podemos esconder isso.

Valeu a pena a iniciativa, correspondeu às expectativas?

Sim, estivemos cerca de duas horas a ouvir pessoas partilharem as suas histórias, umas com finais bons, outras com finais menos positivos, e ficámos com matéria para compilar e para questionar quem de direito. Portanto, creio que foi muito positivo.

No essencial, daquilo que ouviu, com que ideia ficou sobre quais são os principais problemas que afetam a prestação de cuidados de saúde no Algarve?

Sabemos que há especialidade que, neste momento, têm várias dificuldades. Sabemos que a associação entre Faro e Portimão, em termos hospitalares, constitui um problema, porque há médicos que, ora estão num hospital, ora estão no outro, alterando os fluxos de calendário, como se viu recentemente com a Maternidade. Os tempos de espera também são preocupantes.

Já sabíamos que existiam estes problemas e hoje ouvimos aqui experiências reais que comprovam isso mesmo.

Vão levar a cabo mais algumas iniciativas relacionadas com a área da saúde?

Sim, por exemplo, ao nível da Assembleia Municipal de Portimão, já tínhamos realizado uma sessão extraordinária sobre a saúde e esta quinta-feira vamos ter outra.

Também vamos levar este tipo de questões ao Parlamento, à ministra da Saúde e à Entidade Reguladora, através do deputado Cristóvão Norte, e a nível regional, vamos tentar ser uma força de desbloqueio, a partir de Portimão, e unir as várias forças partidárias, como hoje aqui demos o exemplo, porque acima das siglas partidárias devem estar a região e a saúde das pessoas.

 

LEIA TAMBÉM:

“Qualquer dia reduzem o Hospital do Barlavento a um Centro de Saúde”

Horários do comércio tradicional precisam de alterações

Uma centena de trotinetas elétricas a caminho de Portimão

 

(Visited 194 times, 1 visits today)
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub
pub
pub
pub