Albufeira investe quase 1,3 milhões de euros em novo canil municipal, parque e cemitério para animais

A Câmara de Albufeira pretende investir quase 1,3 milhões de euros na construção de um Canil Municipal, um Parque Canino e um Cemitério para animais de companhia, a que se junta a aquisição e adaptação de uma viatura de socorro animal.

Cláudia Guedelha, vereadora com responsabilidades na área, referiu, na apresentação dos projetos, que se trata de “um Plano que resulta de vários anos de trabalho, de partilha muito próxima de preocupações, dificuldades e diversos desafios colocados no dia a dia, nomeadamente com a Guarda Nacional Republicana (SEPNA), os Bombeiros Voluntários de Albufeira e o Centro de Bem-Estar Animal, o que nos levou a refletir e a encontrar um caminho assertivo relativamente a estas questões”.

A construção do Canil Municipal pretende dar continuidade à estratégia iniciada pelo Município com a construção do Centro de Bem-Estar Animal (obra vencedora do primeiro Orçamento Participativo de Albufeira), com o objetivo de dar resposta ao crescente número de cães abandonados e errantes no concelho, promover a recolha e alojamento condigno de animais, a realização de ações de esterilização com vista a posterior adoção, melhorar a qualidade das condições sanitárias dos animais recolhidos, proceder ao acompanhamento veterinário e alimentação apropriada, assim como o bem-estar ativo dos animais, considerando os espaços envolventes existentes.

O futuro complexo para animais de companhia integra um total 5 módulos. No Módulo O, correspondente ao anterior Centro de Bem-Estar Animal, fica instalado o Atendimento ao Público (Receção, Gatil, Vestiário do staff, Gabinete de Coordenação e uma sala para o pessoal). O Módulo A destina-se a Serviços (Gabinete Clínico, instalações sanitárias, salas técnicas, salas multiusos destinadas a ações de adoção, sensibilização contra maus-tratos animais, debates e workshops).

O Módulo B está vocacionado para alojamento e recolha permanente de animais e é composto por 26 celas com capacidade para 65 cães, 1 cela para maternidade ou isolamento e 3 celas de quarentena e zonas técnicas. O Módulo C, também para alojamento, dispõe de 22 celas com capacidade máxima para 55 cães, 1 cela para maternidade/isolamento e zonas técnicas de apoio à atividade. Por último, o Módulo D, está equipado com  2 celas cemicirculares e destina-se ao alojamento e quarentena de animais com suspeita de raiva. A capacidade máxima prevista para o Canil é de 120 animais.

A empreitada, que se prevê tenha início no próximo mês de abril, foi adjudicada por 709 mil euros e tem um prazo de execução de 180 dias.

O Parque Canino surge como um prolongamento natural do Centro de Bem-Estar Animal e pretende ser um espaço de recreio, com equipamentos destinados ao salto, slalom, ponte, rampa, balouço, anel, túnel e mesas para pausa para que os animais se possam exercitar em liberdade e segurança. O objetivo é que possam gastar energias, por forma a evitar comportamentos agressivos e destrutivos, muitas vezes associados à falta de exercício, ausência de relacionamento, brincadeira e convívio.

A zona do Parque é cercada na sua totalidade e encontra-se dividida em duas áreas de recreio, uma destinada a cães de maior porte e outra para cães mais pequenos, por forma a facilitar o controlo e evitar a incompatibilidade entre animais. Em termos de mobiliário urbano será colocada sinalização com indicações das regras de conduta e segurança do Parque, papeleiras com dispensador de sacos para dejetos, postes para prender animais, bebedouros para pessoas e animais e bancos.

As obras, que têm um custo de 188 mil euros têm início marcado também para o próximo mês de abril. O prazo de execução é de 75 dias.

Com vista a dar resposta à recolha e transporte de animais, o Município adquiriu uma viatura, que posteriormente será adaptada para funcionar como veículo de socorro animal. O investimento total, que ascende a 95 mil euros, visa dotar o concelho e os serviços médicos veterinários de uma viatura polivalente que permita garantir o transporte de animais em grande número, a prestação imediata de assistência básica em simultâneo com o transporte, prestação de cuidados de saúde em situação de calamidade, desenvolvimento de campanhas anuais de vacinação em condições de higiene e segurança e o transporte digno de animais do sítio de recolha para o Centro de Bem-Estar Animal e deste para as clínicas e outros locais.

O Cemitério para Animais de companhia, a última obra apresentada pelo Município, irá ficar instalado num terreno a norte do novo Cemitério Municipal. A construção da infraestrutura visa colmatar uma lacuna existente no concelho, através da criação de um espaço apropriado para sepultamento e futura visita dos animais.

“Não podemos descurar a importância dos laços afetivos; por isso vamos construir este espaço que permite às famílias despedirem-se dos seus animais, que cuidaram durante toda uma vida e que merecem o nosso respeito, com dignidade num local apropriado”, sublinha Cláudia Guedelha. Trata-se de um espaço simbólico, de culto e de memória, dotado de espaços de fruição e estadia. O equipamento está organizado em três áreas diferenciadas: sepultamento convencional, sepultamento em jazigo e columbários (módulos de dimensões reduzidas para depósito de urnas contendo as cinzas dos animais após cremação).

A obra, que se prevê tenha início no próximo mês de agosto, tem um prazo de execução de 100 dias e um valor de investimento de 294 680,00€.  

O presidente da Câmara Municipal de Albufeira destacou que a apresentação dos quatro projetos corresponde a uma visão estratégica, um projeto integrado que comporta várias vertentes da vida dos animais de companhia. “Este grande projeto que agrega o Centro de Bem-Estar Animal, agora ampliado com várias valências: Canil, Parque Canino, Viatura de Socorro Animal e Cemitério para animais de companhia é uma mais-valia para o concelho, mas para que funcione precisa da colaboração de entidades externas, como os Bombeiros Voluntários e a GNR, que fazem um trabalho extraordinário de apoio a esta dinâmica que é necessário ter em prol da saúde, da segurança e do bem-estar animal”. José Carlos Rolo abordou a questão dos direitos animais, dos problemas dos maus tratos e do abandono, mas também da falta de responsabilidade e civismo dos donos, aproveitando para apelar às pessoas para que recolham os dejetos dos seus animais quando os vão passear na via pública ou nos jardins.

A vereadora Cláudia Guedelha acrescentou que para além da estreita colaboração com as autoridades de segurança, o Município tem desenvolvido este trabalho com o apoio das associações de defesa animal do concelho: AGA, PRAVI, PATA ATIVA, bem como das famílias de acolhimento, que têm dado um enorme contributo para a criação do Plano que deram origem aos projetos agora apresentados.

O presidente da Assembleia Municipal corroborou a opinião do presidente José Carlos Rolo no que respeita à educação e ao civismo dos donos dos cães, nomeadamente no que diz respeito aos passeios sem trela, sem açaime e às questões que se prendem com a higiene dos animais. Sublinhou que “é muito importante conhecer os direitos, mas que é fundamental não esquecer os deveres”, as regras de conduta que é necessário cumprir. Paulo Freitas confessou estar muito orgulhoso pela forma como o projeto foi pensado “com todos os pormenores, ao nível da arquitetura, da engenharia e sob o ponto de vista prático. É um projeto holístico e fico orgulhoso por ser concretizado em Albufeira”, concluiu.

LEIA TAMBÉM:

Quatro feridos em acidentes em Portimão

Oferta de emprego para agrupamento de escolas

Veja onde vai estar a PSP com o radar

(Visited 36 times, 1 visits today)
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub