Lagos apoia aumento da capacidade formativa na área da medicina

A Câmara Municipal de Lagos aprovou, na última reunião do seu executivo, os termos da parceria a estabelecer entre a Universidade do Algarve (UALG), a Associação para o Desenvolvimento do Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve (AD-ABC), o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) e os municípios associados da Comunidade Intermunicipal da Associação de Municípios do Algarve (AMAL).

O contrato-programa visa reunir os meios financeiros necessários para aumentar a capacidade formativa na área da medicina, nomeadamente o ensino da medicina e a investigação clínica e biomédica desenvolvida na Universidade do Algarve através do ciclo de estudos do mestrado integrado em medicina.

O assunto foi previamente debatido e consensualizado no seio da AMAL, que defende a participação dos municípios no investimento a fazer em todas as componentes da área da saúde na região do Algarve, nas quais se incluem equipamentos, pesquisa e desenvolvimento, respostas de serviços de saúde e formação superior e pós-graduada na área da saúde.

Lagos irá colaborar nesta parceria com uma verba de 51.244 €, pelo período de cinco anos (2021 a 2025), sendo que o apoio somado de todos os municípios atinge o valor de 600 mil euros por ano. O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a própria Universidade do Algarve suportarão a restante fatia necessária dos 6 milhões de euros que representam o custo total de funcionamento para fazer face ao reforço e alargamento do curso de medicina ao longo de cinco anos.

Esta medida integra um conjunto mais amplo de ações que visam captar e fixar profissionais de saúde no Algarve, assim como aumentar a percentagem de alunos que, após concluírem a sua formação, ficam a exercer a sua atividade profissional na região.

O presidente da Câmara de Lagos, Hugo Pereira, sublinhou, no entanto, que “para se alcançar esse objetivo é também necessário reforçar o investimento na rede hospitalar da região, criando mais e melhores condições para que os profissionais possam prestar os cuidados de saúde às populações”.

O segundo ciclo do mestrado integrado em Medicina da Universidade do Algarve está a funcionar desde 2009/10, sendo considerado um projeto inovador, designadamente no que respeita à seleção dos candidatos – que visa identificar perfis com base em vários parâmetros que não apenas os prévios resultados académicos – e ao programa de estudos, integralmente baseado em metodologias de “Problem Based Learning”, com ensino clínico desde o 1.º ano.

LEIA TAMBÉM:

O adeus ao velhinho Hospital de Lagos

Oferta de emprego público

Veja onde vai estar a PSP com o radar

(Visited 17 times, 1 visits today)
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev