Peixe fresco entregue em casa e pronto a cozinhar

pub

Quem vive nas zonas de Olhão, Tavira e Fuzeta já não precisa de ir ao mercado, ao centro comercial ou sequer sair à rua para ter em casa peixe fresco, já amanhado e pronto a cozinhar.

Basta inscrever-se no «Cabaz FrescoMAR» e a Associação de Armadores e Pescadores da Fuzeta trata de tudo. Uma funcionária vai à lota, logo de madrugada, compra o peixe e, depois de, com um colega, o amanhar, pega numa carrinha e vai levá-lo, devidamente acondicionado, à casa dos fregueses.

As encomendas devem ser feitas através da internet, bastando, para isso, ir ao site da associação, preencher e enviar o formulário que aí está disponível. Por essa via, os futuros clientes ficam desde logo a saber que passam a ter disponível em casa, com cadência semanal, quinzenal, mensal, ou apenas de forma pontual, um cabaz contendo 3 ou 5 quilos de peixe, pelo qual pagarão 22 ou 36 euros, respectivamente.

Contas bem feitas, isso significa que cada quilo de pescado bem fresco, entregue no domicílio e já pronto para ir ao fogo, sai por pouco mais de 7 euros.

A associação apresenta uma lista de 43 espécies, das quais os clientes devem assinalar apenas três que não estejam interessados em receber. Em face dessa informação e do tipo de peixe que, em cada dia, houver na lota, a associação constitui os cabazes para cada um.

Em intervenção proferida num debate que teve lugar no âmbito da Feira Mar Algarve, uma das responsáveis da associação, Sónia Olim, referiu que um dos objectivos deste projecto é promover algumas espécies menos conhecidas e de menor valor comercial, pelo que esse tipo de peixe constitui um terço do total de cada cabaz.

Constituído com recurso a uma candidatura ao programa PROMAR, o projecto «Cabaz FrescoMAR», diz esta responsável, está a correr muito bem e a ter boa adesão por parte das pessoas, a ponto da associação estar a ponderar a possibilidade de alargar a área geográfica que abrange.

Trata-se de uma iniciativa que é muito útil para os consumidores e que, ao mesmo tempo, ajuda os trabalhadores da pesca, sobretudo, através da promoção e comercialização de espécies que, normalmente, lhes davam pouca rentabilidade. Outra consequência positiva é, para já, a criação de dois postos de trabalho.

Leia também:

Futuro da pesca algarvia em risco

Mais concursos para exploração de apoios de praia

(Visited 3.365 times, 1 visits today)
pub

pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub

pub

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.