Covid-19: Ponto de situação no concelho de Lagos

Até ao momento, em Lagos, ainda não foi registado qualquer caso de pessoas infetadas com o vírus Covid-19, diz o presidente da Câmara, Hugo Pereira, nesta entrevista em que se faz o ponto de situação no concelho.

Este é o primeiro dia em que o país se encontra em estado de emergência. Em Lagos isso nota-se, há muito menos movimento nas ruas?

Sim, apenas se mantêm em funcionamento os serviços essenciais e há muito menos gente na ruas e, de uma forma geral, apenas junto dos estabelecimentos de venda de bens essenciais.

Como é que estão a funcionar, nesta altura, os serviços camarário?

Os serviços essenciais estão todos a funcionar em pleno, casos da recolha de lixo, desinfeções, apoio social, comunicação e expediente.

A secção de aprovisionamento está, igualmente, a funcionar, de forma a que se compre tudo o que faça falta, tal como acontece na área financeira, até para antecipar pagamentos aos nossos fornecedores, de forma a que, nesta altura de crise, não fiquem descapitalizados.

Todos os outros serviços continuam, também, em atividade, com maior ou menor reforço e com funcionários a trabalharem nos seus postos habituais e outros em regime de teletrabalho.

Por exemplo, nos setores mais técnicos – projetos, arquitetura e empreitadas – os nossos funcionários trabalham a partir de casa, utilizando as plataformas da autarquia.

Mercados e transportes públicos vão continuar a funcionar

O atendimento aos cidadãos, nesta altura, já não é presencial?

É feito por via telefónica e por email e só há atendimento presencial em circunstâncias muito excecionais.

Os edifícios e equipamentos municipais estão todos fechados com exceção dos mercados?

Exatamente. Os mercados continuam abertos ao público, com determinadas limitações, sobretudo ao nível do número de pessoas que podem estar no interior ao mesmo tempo.

O transporte urbano vai continuar a circular?

Foram suprimidas algumas linhas mais vocacionadas para o turismo e a comunidade escolar e continuam a funcionar todas as outras.

Também aqui há algumas limitações ao nível da lotação, para além de se ter determinado a obrigatoriedade das pessoas entrarem e saírem pela porta de trás para não haver contactos com os motoristas.

Concelho sem qualquer caso confirmado, até agora

Que outras medidas a Câmara lançou de forma a responder a esta fase de pandemia?

Antecipámos-nos ao Governo em algumas iniciativas. Por exemplo, já na semana passada tínhamos reduzido o horário dos bares e respetivas esplanadas.

Resolvemos, também, proibir a circulação de autocarros turísticos nas zonas normalmente mais visitadas, como a Ponta da Piedade.

Temos feito algumas ações de sensibilização, através da Polícia Municipal e da Proteção Civil junto das grandes superfícies e outros estabelecimentos para que cumpram integralmente a legislação.

Destaco, ainda, uma ação de desinfeção que estamos a desenvolver nos espaços públicos no concelho, sobretudo nas zonas de maior circulação de pessoas, no exterior de farmácias, hospitais, supermercados, PSP, GNR, lota, enfim, de todos os estabelecimentos que continuam abertos à população.

Em função das circunstâncias temos vindo a tomar as medidas preventivas que se impõem, apesar de, no concelho de Lagos, felizmente, ainda não termos registado qualquer caso de infeção.

Há autarquias que têm lançado serviços de apoio às pessoas mais idosas e às que têm doenças crónicas. Em Lagos isso também acontece?

Sim, avançámos agora com uma campanha de entrega de alimentos confecionados e por confecionar e de medicamentos ao domicílio de pessoas mais vulneráveis. É uma ação que está a ser coordenada pelo município, no âmbito da Rede Social.

LEIA TAMBÉM:

Câmara e juntas do concelho de Lagoa fazem compras para que idosos e doentes não tenham de sair de casa

Câmara de Lagoa encerra o Balcão Único Municipal

Profissionais de serviços essenciais de Portimão já têm onde deixar filhos e idosos

(Visited 3.502 times, 1 visits today)
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub
pub
pub