Investimento de 18 milhões de euros em habitação social

pub
pub

Realizou-se, no passado dia 24 de maio, no edifico dos antigos Paços do Concelho de Lagos, a cerimónia de homologação do acordo de colaboração entre o município e o Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU). 

O objetivo consiste no investimento de 18 milhões de euros no âmbito do 1.º Direito – Programa de Apoio ao Acesso à Habitação, que visa a promoção de soluções habitacionais para pessoas que vivem em condições habitacionais indignas e que não têm capacidade financeira para suportar o custo do acesso a uma habitação adequada ou da sua requalificação.

Para esse efeito foi efetuado um diagnóstico prévio, que resultou na Estratégia Local de Habitação de Lagos, documento através do qual se identificam as soluções habitacionais que se vão promover.

Na cerimónia, o presidente da Câmara Municipal de Lagos referiu-se ao facto da autarquia, desde sempre, ter tido um preço habitacional, por m2, muito elevado. “Por este facto, no passado, apenas foi possível oferecer condições de habitação a preços acessíveis graças à ajuda do Estado Central, das Cooperativas e do município.”

“Depois assistiu-se a um desinvestimento nesta área com um interregno na construção de habitação a custos controlados. Reverter essa tendência mais recente, construindo e atribuindo novamente casas a preços acessíveis é o propósito da Estratégia Local de Habitação de Lagos elaborada e agora homologada”, acrescentou Hugo Pereira.

Segundo o autarca, estão já em construção dois empreendimentos habitacionais, em Bensafrim e no Sargaçal e o projeto para construção na cidade de Lagos está em fase avançada, “pelo que tudo faremos para respeitar o período de 6 anos contratualizado com o IHRU e começar já em 2022 a atribuir fogos, dando resposta ao máximo de famílias possível.”

Para o Secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local, Jorge Botelho, o acordo de homologação agora formalizado é de grande importância para Lagos, para o Algarve e para o país, “uma vez que estamos a cumprir os objetivos traçados na última Lei de Bases da Habitação e os direitos consagrados na Constituição, com um impulso muito grande traduzido na comparticipação de investimento a fundos perdidos e a corresponsabilização dos municípios. Dar condições às pessoas para viverem, trabalharem e constituírem família é um desígnio social.”

LEIA TAMBÉM:

Dois feridos em acidente em Portimão

163 ofertas de emprego no Algarve

O adeus ao velhinho Hospital de Lagos

(Visited 33 times, 1 visits today)
pub

pub
pub

pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub

pub