TEMPO de regresso a casa

Choque_Frontal_Julio_RicardoM(Texto: Júlio Ferreira / Fotos: Vera Lisa Photography)

É sair apressadamente do trabalho. Falar ao telemóvel pela centésima vez com o Ricardo para ver se está tudo bem. Precisas de mais alguma coisa?

Desligar o carro, descer as escadas, abrir a porta. Estar de regresso a casa é maravilhoso. É quando entras numa sala de luz e som, e festejas, tão contente, com amigos que fazes instantaneamente ou que fazem parte da tua estória.

É antes de tudo começar… aquele nervoso. São os amigos que chegam, os abraços, reencontros e muita expectativa. É aquele momento em que entramos em palco como se de artistas se tratassem.

É o instante em que trocamos olhares e ansiedades de quem se senta junto a nós pela primeira vez. É tudo, meus caros amigos, é isso tudo.

A outra metade de nós os dois nas noites em proporcionamos a pessoas importantes nas nossas vidas, como namoradas, filhos, irmãs, família, amigos e outros que obrigatoriamente ficam a fazer parte da nossa vivência assim que entram na “nossa” casa.

É aquele momento em que ficamos contentes e privilegiados por assistir ao “REGRESSO” de um Mário Mata renovado, simples, um homem que pareceu sempre estar um pouco fora de tempo. Aquele momento em partilhas temas de uma juventude com interjeições orgulhosamente nossas, tipicamente algarvias? “Está tudo mais avariado que um chalavar de caranguejo mô.” “Vai-te embora, choco, estás deixar a água turva.”

É a alegria que dás a cada surpresa que proporcionamos, a cada ideia que tornamos realidade. É ver o trabalho de amigos reconhecido e admirado. É aquela alegria pura de oferecer sem receber nada em troca e sentires, naquele primeiro segundo de qualquer reacção, que acertaste em cheio. Que felicidade!

É cada momento em que, fechando o microfone, sentes aquele flash de energia única de fazer rádio e que perdura até chegares a casa.

É, no final, o convívio com os amigos, é a conversa pela noite fora.

É bom voltar a “casa”, é bom voltar ao TEMPO, é bom voltar a ouvir o Mário Mata repetindo que “Não há nada p`ra ninguém”. Espero que ele esteja enganado e que continuemos a assistir ao seu sucesso e a fazer o que mais gostamos, Rádio.

Recordaram-me hoje que o Mário Mata e o seu “REGRESSO” foi o 10º convidado do “Choque Frontal ao vivo”. Dez convidados extraordinários. Não nos orgulhamos de todas as decisões, mas temos um enorme orgulho na maior parte. Sobretudo, sentimos que há trabalho feito. E que é maravilhoso poder olhar para o lugar em que estamos, em que recebemos os nossos convidados e aquilo que conseguimos ser e fazer, sendo originais e únicos. São 10 convidados que mudam tudo, aconteça o que acontecer daqui para a frente.

O nosso agradecimento a todos com quem trabalhámos nestes 10 programas de Rádio gravados ao vivo, e obrigado a todos os que fazem hoje parte da família.

E que venham mais 10? Mas um de cada vez, sim…

Júlio Ferreira

Leia também:

Daniel Kemish no Choque Frontal ao Vivo

Jorge Serafim e Brasa Doirada no Choque Frontal ao Vivo

O humor do Môce Dum Cabréste no Choque Frontal ao Vivo

(Visited 203 times, 1 visits today)
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.