Deputados do Bloco e PSD confrontam o Governo com falta de pessoal na Escola Manuel Teixeira Gomes

pub
pub

O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, através dos deputados João Vasconcelos e Joana Mortágua, endereçou ao Governo várias perguntas sobre a falta de funcionários e de segurança na Escola Manuel Teixeira Gomes, em Portimão.

A iniciativa surge após, na 2ª feira, a escola ter encerrado devido à realização de uma manifestação que envolveu alunos, professores, pessoal não docente e encarregados de educação que alegavam haver falta de 11 funcionários e o risco do Bloco B ruir.

Os referidos deputados referem que “todos estes graves problemas, além de gerarem um sentimento de insegurança entre a comunidade escolar, impedem o normal funcionamento da escola, levando ao encerramento de alguns serviços, onde sobressai o facto de durante o regime noturno não haver aulas”.

João Vasconcelos e Joana Mortágua querem saber se o Governo vai atuar “no sentido da contratação urgente de pessoal não docente”. Pretendem, igualmente, ser informados sobre se vão ser retiradas as coberturas de amianto ainda existentes e as obras de reparação do Bloco B vão avançar.

Deputados do PSD também vão levar o caso ao Parlamento

Também os três deputados do PSD eleitos pela região se preparam para inquirir o Governo sobre esta matéria.

Cristóvão Norte, Rui Cristina e Ofélia Ramos dizem que a manifestação realizada na escola se justifica, face “à redução de 11 funcionários, o que demonstra a desatenção que merece o ensino no Algarve por parte do Ministério da Educação”.

Estes eleitos consideram ser, igualmente, urgente a realização de “obras de manutenção que garantam o bom funcionamento do estabelecimento escolar”.

Também a concelhia de Portimão do PSD já veio solidarizar-se com alunos, funcionários e professores daquela escola.

Esta estrutura partidária garante ir “apelar ao Executivo da Câmara Municipal de Portimão para alertar de forma veemente o Ministério da Educação para solucionar o problema sem ser necessário esperar por janeiro e pelo consequente processo de descentralização do Estado Central para a Autarquia portimonense da pasta da Educação”. 

LEIA TAMBÉM:

Empresas rejeitam obras de milhões de euros

Loulé ‘ataca’ o mercado francês

Veja onde vai estar a PSP com o radar


OS NOSSOS VÍDEOS

(Visited 157 times, 1 visits today)
pub
pub
pub
pub
ViladoBispo_Banner_Fev