Exposições para ver em Loulé

De acordo com o Plano de Desconfinamento do Governo, as galerias, museus e monumentos irão reabrir na próxima segunda-feira, 5 de abril. A Câmara de Loulé prepara os seus espaços culturais para este regresso e, no caso da Galeria de Arte do Convento Espírito Santo, em Loulé, e da Galeria de Arte da Praça do Mar, em Quarteira, está prevista a inauguração de novas exposições, no dia 6, terça-feira.

Em Loulé, a exposição “Cada Lugar/Each Place”, de Fernando Gaspar“ poderá ser visitada a partir deste dia e até 23 de maio. O pintor apresenta-se na Galeria de Arte do Convento Espírito Santo para mostrar o seu trabalho: “Dos lugares emana o alcatrão e o pólen, o tempo de um grito. Com as mãos e o peito moldo tudo, tudo esmago e reformo; risco no chão a importância das coisas, escrevo o tamanho das sombras na espessura do vento. Da minha cabeça, desce até à crosta da Terra, o alfabeto dos pássaros e das crias, perfumando as árvores, fertilizando os vales, as infindáveis planícies. Cada lugar é um amanhã.”. Como refere João Moniz relativamente à arte de Fernando Gaspar, “situa-se entre o gestualismo abstrato e o contemplativo da nuvem que aparece na textura da tela e se distancia na sua viagem, coerência essa entre a profundeza do diálogo que ele estabelece e o ofício que toma a forma da pintura.”

A exposição abre as portas de terça-feira a sábado, das 10h00 às 16h30.

Já na Galeria de Arte da Praça do Mar, em Quarteira, a Exposição “From Fan to Fam”, de Nuno Viegas, é a proposta nesta reabertura. “De Fã a Família” apresenta-nos fragmentos da história do início da carreira de Nuno Viegas, o artista visual quarteirense que tem vindo a dar passos largos no panorama da arte urbana internacional. Após concluir o seu mestrado na Universidade do Algarve, partiu, no final de 2014, numa aventura rumo a Roterdão, nos Países Baixos. Esta viagem abriu-lhe portas para um futuro até então impensável. No decorrer dos anos seguintes, Nuno teve a oportunidade de conhecer e estabelecer laços com alguns dos artistas que mais admira, os quais sempre idolatrou. Artistas estes que têm sido um grande suporte na constante evolução da carreira de Nuno Viegas. Esta exposição conta histórias da viagem de Nuno Viegas com seus amigos até aos dias de hoje através de obras do artista e dos seus ídolos… A sua família no mundo das artes. Refira-se que ele é um dos autores do Mural “À Moda Quarteirense”, obra inaugurada em 2020. 

A exposição vai estar patente ao público até 29 de maio, no seguinte horário: de terça-feira a sábado, das 9h30 às 13h30 e das 15h00 às 18h00.

As outras propostas de exposições que antes do confinamento já se encontravam a decorrer e que voltam agora a ser visitáveis são: “Até ao Nosso Encontro”, de Rúben Gonçalves, no CECAL – Centro de Experimentação e Criação Artística de Loulé; “A Saúde de Uma Comunidade Loulé na 1ª. Metade do séc. XX”, na Casa Memória do Séc. XX, Edifício Duarte Pacheco; “Backwards Archaeology. A look into the future”, de Charlie Holt, no Museu Municipal de Loulé; “Aleixo dreams”, exposição de colagens digitais de Charlie Holt, no Claustro do Convento do Espírito Santo, Loulé; “Os Expedicionários da Freguesia de Alte, Soldados Louletanos na Grande Guerra 1914-1918” e “Ecos da Serra – 50 anos de memórias”, no Polo Museológico Cândido Guerreiro e Condes de Alte, em Alte.

De resto, todas as exposições permanentes do Museu Municipal de Loulé e dos seus polos dos Frutos Secos, Alte, Querença e Salir podem ser visitadas a partir da próxima semana. 

Seguindo as normas da Direção-Geral de Saúde, a visita a estas exposições é condicionada a 6 pessoas de cada vez no interior dos espaços e o uso de máscara é obrigatório.

LEIA TAMBÉM:

19 ofertas de emprego para Câmara algarvia

Luís Carito assume candidatura e diz que não deixou a Câmara de Portimão na falência

O regresso calculista de Joaquina Matos à política de Lagos

(Visited 34 times, 1 visits today)
pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub