Obras de Lagoa em discussão na Assembleia Municipal

As obras que se desenvolvem na sede de concelho estiveram em grande destaque no arranque da Assembleia Municipal de Lagoa da passada semana, que se estendeu pelas noites de 23 e 24 de Novembro.

A iniciativa coube à bancada do PSD, que considerou que, devido, sobretudo, àquela obra, mas também a outras que se desenvolvem, o concelho está convertido num “estaleiro.” Pela voz de Cesário Belém, aquele grupo parlamentar referiu que as obras estão a converter-se num “drama” para os cidadãos e, em especial, para os comerciantes.

No caso da que se desenvolve junto ao Mercado de Lagoa, pelas contas do PSD, ela leva a que os empresários locais facturem menos entre “50 a 80%”. Os social-democratas não contestam a necessidade desta intervenção, mas sim com a forma como tem vindo a desenvolver-se.

Defendem que devia ser feita por fases, o que evitaria muitos dos problemas que estão a verificar-se. Associam o arranque das obras nesta fase ao facto de faltarem apenas 10 meses para as eleições autárquicas e à “necessidade do executivo camarário mostrar obra”.

No essencial, a mesma opinião foi expressa por Victor Carapinha, da CDU, que criticou o facto das obras terem começado aos “solavancos” e, de uma forma geral, a maneira como estão a ser levadas a cabo, que revela, na sua opinião, “incapacidade e incompetência”.

Jorge Ramos, do Bloco de Esquerda, reiterou os argumentos já utilizados pelo Bloco de Esquerda, em comunicado, manifestando-se contra a altura (perto do Natal) em que são feitas as obras e defendendo que deviam ser realizadas por fases.

Na resposta, o presidente da Câmara, Francisco Martins, rejeitou as acusações. Defendeu a necessidade das obras serem feitas, disse que houve diálogo com os comerciantes e que em qualquer altura que fossem levadas a cabo causariam incómodos. Perguntou, inclusivamente, aos que não concordam com o timing, se acham que, por exemplo, o Verão seria uma melhor altura.

Quanto à possibilidade de se desenvolver a intervenção por fases, isso iria fazer com que “em vez da obra levar 4,5 meses, levaria 8 ou 9 meses”, situação que, do seu ponto de vista, não seria vantajosa para ninguém.

Leia também: 

Assembleia aprova Orçamento da Câmara de Lagoa

Bloco de Esquerda diz que o caos está instalado em Lagoa

Lagoa é o município do país com melhor eficiência financeira

Lagoa tem orçamento de 35 milhões de euros

Subscreva a nossa Newsletter 

(Visited 419 times, 1 visits today)
pub

pub
pub

pub
ViladoBispo_Banner_Fev
pub

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.